domingo, 31 de outubro de 2010

Flores do Campo



Há anos ainda muito criança
Quando as belas flores do campo
Tinham seus perfumes naturais
E muitas gotículas de orvalho
Lá ia eu apreciá-las e cheirá-las

A cidade era bem pequenina
Nos seus arredores e baixadas, só flores
De todos os tipos e tamanhos a me encantar
Vocês jovens jamais verão
Tamanha maravilha natural

Após alguns dias estava eu lá novamente
Em com dor no peito vi uma bela flor morta
Apanhei-a, com carinho e, na minha inocência
Quis plantá-la num lindo vaso e cuidar

Na esperança que ela ressuscitasse
Quantas ilusões se perderam no tempo
Hoje, não vejo mais tamanha beleza
Pois as maravilhosas flores do campo
Aqui já não existem mais


8 comentários:

  1. Olá
    O poema é lindo e triste ao mesmo tempo...amei.
    Ótimo sábado pra você.
    Roseli

    ResponderExcluir
  2. Querida Dorli !
    Bom dia. Ainda bem que és uma poetisa e, como tal, podes tudo. As "flores do campo", das quais
    sentes tantas saudades, estão aí, plantadas em teu sensível coração de poeta. Esperam pelo teu
    mágico e carinhoso olhar de mulher.
    Retira a cortina opaca do tempo, e verás os teus
    lindos versos reflorescerem, como a ilustração,
    trazendo de volta à vida, o perfume que tanto aspiraste, e o frescor das pétalas, que pensas haver perdido.
    O teu poema é um grito de partida, para um novo
    e feliz destino.
    Parabéns, pelo belo texto, certamente, nascido
    das profundezas dos mais puros sentimentos.
    Um beijão,
    Sinval.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia ,Doli!!

    Realmente o poema é lindo!

    Meu querido e amado, Sinval tem razão...Continue nos visitando...
    é uma alegria para nós...
    um abraço carinhoso
    vera portella



    ResponderExcluir
  4. Es cierto, aquel Pueblo en el que vivimos de niños se ha convertido en un monstruo artificial, lleno de ladrillos y cristales, sin sitio para lo más hermoso que siempre recordaremos; es decir ese oasis de Flores y árboles por donde jugabamos y disfrutabamos de niños.
    Precioso, Dorly.
    Abrazos y besos.

    ResponderExcluir
  5. Puxa amiga!!!
    Que lindo e triste ao mesmo tempo.
    Tambem tenhos tristes passagens de minhas infância, mas prefiro não lembrar muito, pois machuca demais.
    Linda forma de descrever seus sentimentos.
    Grande beijo... e hoje apenas tentei descrever a infancia da minha netinha.
    bjks
    Ritinha

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga Dorli,adorei sua poesia sobre as flores do campo,principalmente quando nos deixam saudades de um tempo de crianças que já não voltam mais,o bom seria se elas ainda vivessem para exalarem seus perfumes naturais.
    Muito linda.
    bjs
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  7. Ei Dorli.
    Estou voltando a visitar meus blogs amigos.
    E venho agradecer por sua presença e cuidados
    em meus momentos difíceis passados recentemente.
    Linda a fonte usada para suas postagens.
    Lindo poema cheio de encanto e magia.
    Linda nova semana pra nós.
    Com carinho, afeto e gratidão
    Bjins
    CatiahoAlc./ReflexodAlma

    ResponderExcluir
  8. Acróstico

    As flores eram mais belas anos atrás
    Seus aromas tão mais olentes assim
    Flores que enfeitavam e muito mais
    Lilases, rosas, cravos, dálias, jasmim.

    Onde flores houvesse mais cor havia
    Rescendendo a miríades de olores
    Em consequência, bastante alegria
    Saudadas como bastião dos amores.

    De então para cá, flor só na florista
    Onde por dinheiro compra-se o vaso
    Colorido mas sem vida, isso entrista
    Adquire-se uma flor por mero acaso.

    Mas a flor do campo embora exista
    Possivelmente já está no seu ocaso
    Oculta nas moitas não pode ser vista.

    ResponderExcluir