quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Um casal de idosos ( ficção)


Um casal de idosos cansado da vidinha simples do interior, onde cresceram juntos, namoraram e se casaram  muito jovens e, para completar a felicidade a dois, tiveram uma linda filha e, por um infortúnio do destino morreu com um mês. Resolveram em comum acordo a não terem mais filhos.
Os dois trabalharam muito durante oitenta anos, juntaram um belo patrimônio e, já cansados de tanta labuta resolveram parar de trabalhar.
E a vidinha apática dos dois começou a incomodar a ambos e, o marido então, teve uma ótima idéia: Nós não temos filhos para deixar todo nosso patrimônio, que tal usá-lo para conhecer todo nosso país, pois já somos bem velhos e não haverá muito tempo para a nossa morte.
E foi o que aconteceu: viajaram muito, conheceram lindas praias, lindos lugares, enfim quase todas as belezas do Brasil. De repente o susto: quase todo patrimônio tinha ido pelos ares e voltaram imediatamente para sua casa. A situação ficou tão calamitosa e quase não tinham o que comer então, fez uma barganha da sua linda casa com um pequeno casebre. O dinheiro da barganha acabou e eles tiveram que pedir esmola ainda por quatro anos.
Portanto, meus leitores: ninguém sabe quando vai morrer. Nunca devemos zerar...

TRABALHARAM DURANTE OITENTA ANOS, APROVEITARAM O DINHEIRO POR CINCO ANOS E AINDA PEDIRAM ESMOLA POR QUATRO ANOS.

7 comentários:

  1. Olá Dorli! Essa história é verdadeira, mas o casal daquela que eu conheço não gastou tudo, pois deixou um fundo para viver confortavelmente até sua morte. Ah, gostei do seu espaço, com textos interessantes e bem convidativo. Se puder e quiser, faça-me uma visita tb. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante! que fique a lição temos sempre que poupar um pouco pois não sabemos o dia de amanhã. bjsss

    ResponderExcluir
  3. Uma conclusão interessante.Uma lição.
    Sálvio Sérgio
    http://salviosergiocampos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Esta aí uma lição: Não gaste tudo o que tem. Viva, passeie, jante fora, mais sempre pensando no amanhã.

    Beijão!
    Dan.

    ResponderExcluir
  5. Tem toda razão,ter pra usar na hora certa é muito melhor!

    ResponderExcluir
  6. Dorli,uma história que poderia ser verídica,pois há muios casais no final da vida começam gastar o dinheiro que pouparam com sacrifício,mas não calculam que um dia ele acaba e aí acabam pedindo esmolas como essa história que você nos conta.
    Gostei.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  7. Dorli, isso é real, conheço pessoas assim, como diz o velho ditado: o futuro a Deus pertence. Vale não jogar todas as cartas.

    Bjs!

    ResponderExcluir