segunda-feira, 30 de junho de 2014

Cacos de mim



Nasço linda como a flor do campo
Todos querem me ver e me beijar
Uma brisa que reluz como pirilampo
Seduz meu corpo de bebê a pulsar

De bebê virei garota altiva, amada(...)
Até na escola todos querem me tocar
É de carne e osso, ó beleza encantada?
Sorrio e digo que a todos irei encantar

Já mais jovem, desobediente e desregrada
Cambaleio bêbada pelas ruas da cidade
Hoje sou cacos de mim, sou desgraçada
Que mina nas paixões de muita sujidade

Hoje, velha arrastando tal minha vergonha
Sou o estorvo fedorento nas ruas à vagar 
Ninguém mais reconhece a linda menina
Agora sou os cacos que os garis vêm catar

Por quê??
 


domingo, 29 de junho de 2014

Rimas de amor



  Transformei meu amor em rima
Rimei o amor com
Dor
Saudade rimei com
vontade
Choro rimei com
Loiro
Lágrimas sofridas com
Idas...
Tristezas com
Incertezas
Tempo passado com
Malvado
Tristes suspiros com
Sorrateiros
Grandes paixões com
Reflexões
Choro do abandono com
Outono
Linda folha seca gritou
Heureca
Achei novo amor
 Sem dor


sábado, 28 de junho de 2014

Oh! lua


Todos os tamanhos - Médio

Tu que és a minha musa inspiradora
Eu quero abraçar-te num suave levitar
Falar contigo como menina sonhadora
Versejar um amor, lindos sons entoar

Vou beijar-te pelos sonhos que me desses
Dormir sobre o teu leito e poder sonhar
Sonhos inebriantes que me concedesses
Em terra com coração palpitante a bailar

 As nuvens escuras fazem triste a minha lua
Deixas que a chuva molhe os meus cabelos
Fazes meus sonhos de amor serem anelos
Quero desvendar os mistérios e, me evolua

Oh! lua, tu não queres falar com a estrela
Que jogasses na terra num grande furacão
Essa estrela virou mulher que espera da lua
Que mande um lindo e terno amor em doação



sexta-feira, 27 de junho de 2014

Boêmio



Onde Francisco acharia forças para suportar a perda de Verônica, sua linda mulher, que sem se despedir amanheceu sem vida numa manhã de carnaval? Nos vizinhos, talvez: nenhum amigo soubera do acontecido e, em pleno carnaval, Verônica desceu sepultura e de longe podia se ouvir o batuque do carnaval que mal havia começado.
Na saída do cemitério, queria ficar só, caminhava a passos lentos, parou num boteco, comprou uma garrafa de cachaça e foi bebendo a grossos goles até chegar a seu pobre barraco.
Chorou...mas como ele chorou: não tinha filhos, nem parentes, nem ninguém que lhe desse uma palavra de consolo e, como nunca tivesse bebido, adormeceu.
Acordou sonolento, segurando pelas paredes e numa latrina esvaziou sua dor e, por alguns instantes não sabia o que tinha acontecido e chamava por Verônica. Daí, a dura realidade fez morada no seu pensamento: estou só. Verônica morreu...
Comeu uns restos de comida que havia nas panelas em cima do fogão a lenha, tomou na bica de bambu um gole d'água, sentou-se num banquinho à frente do barraco com seu pandeiro e, segurava o vestido luzido de sua mulher que ia dançar o carnaval. Gostava de tocar seu pandeiro perto da sua amada que dava um show de samba. Francisco emudeceu... Nisso, aparece um amigo também com seu pandeiro e, sentados bem em cima do morro, os dois batucavam uma triste melodia. Nesse instante, o céu escureceu, uma forte chuva caiu, o pandeiro de Francisco rolou morro abaixo e, ele na sua insana mente gritava: Verônica está escorregando o morro e se jogou morro abaixo para salvá-la e foi se encontrar com ela no céu.
Seu amigo atordoado gritava desesperado. Mais nada podia fazer, pois um, não conseguiria  viver sem o outro e na sua sã consciência falou baixinho: menos um boêmio à sofrer nos bares das noites da vida.
Essa é a história de um amor verdadeiro que não precisava de um castelo para ser feliz, apenas um barraco e quatro noites de carnaval, pois um completava o outro.


quinta-feira, 26 de junho de 2014

Soneto à Dorli e meu agradecimento



video


No perfume das noites transparentes
Olhas o luar que tanto embeleza...
O céu vestido de estrelas luzentes
A cobrirem-te de real beleza;

Nas alturas os anjos tão contentes
Flutuam a zelar tua pureza;
Tu que és o maior de todos os presentes
Que ganhamos da vida com certeza

No coração alegres sentimentos
Transbordam magistrais nos leves ventos...
Que passam perfumando os finos ares;

Tua alma a flutuar pelos luares
Pode agora ler o que fiz por ti...
Versos cobertos de encantos Dorli

 Meus agradecimentos

 S omente de ti poderia vir tamanha emoção
A migo: nem o tempo jamais eu te olvidarei
M eu coração borbulha alegrias sufocadas
U m nó na garganta faz engasgar meu peito
E m um elo de amizade profundo e perfeito
L amento só o tempo que não me da tempo

B acana esse teu jeito de presentear amigas
A balou minhas emoções que hoje são frágeis
L apida jóias que guarda em seu doce coração
B agagem cheia de sonetos lindos à encantar
I  lustre mestre dos lindos sonetos magistrais
N uvem que permeia escritos com singeleza
O jovem que diz que nasceu em tempo errado
T ecla amor, carinho, polidez e belos sonhos


quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sentimentos



 Sentimentos guardados
À explodir
No peito sofrido
Mas são guardados na essência
Da alma doente
De amor, saudade e paixão
Da para transcrever sentimentos?
Sim...
Matá-los?
Não...
Da para transferir sentimentos
Não...
Esquecê-los?
Não...
Guardá-los?
Sim...
Sentimentos são únicos
Não se vende
Apenas oferece
Ao eterno
Amor

terça-feira, 24 de junho de 2014

Minha mente viaja...





Às vezes, eu paro o meu mundo e minha mente viaja noutro inexplicável para a mente humana. Sinto meu corpo levitar uns cinco centímetros, consigo andar pelos cômodos da casa, mesmo que eu queira meus pés não alcançam o chão.Uma força de dentro da minha mente viaja para um mundo diferente cheio de belezas inimagináveis, nesse trajeto levei apenas um quadro de estimação.
Pousei sem asas nesse mundo e muitas pessoas lindas, vestidas de branco, vieram me dar boas vindas. Sorri como agradecimento e, acompanhada com essa legião andamos nesse firmamento que minha mente fabricou: Vi rios com peixes dourados submersos me chamando para nadar. Fui entrando paulatinamente, as águas eram quentes de amor, bem estar e, de repente os peixinhos se ataram ao meu corpo e o levaram ao fundo do mar, consegui respirar como os peixes e continuamos a nadar até chegar num lindo castelo de brilhantes que ofuscou as minhas vistas.
Ao chegar à porta do castelo, ela se abriu e fomos recebidos por uma orquestra tocando a 9ª sinfonia de Beethoven. Fiquei deslumbrada do que vi e ouvi. Enquanto a orquestra tocava, pequenos pássaros brancos e negros voavam reluzindo todo o ambiente, foi uma linda experiência da minha mente. Voltamos à tona; saí sem que minha roupa estivesse molhada, caminhando só a esmo vi uma enorme ave branca que planou perto de mim e disse: suba. Voamos e vi tantas coisas deslumbrantes que minha vã mente pôde presenciar: um universo sem dor, sem fome, sem maldade, era permeado de belezas dantes inimagináveis.
Nesse mundo as árvores frutíferas e as águas límpidas saciavam a fome e a sede dos seus habitantes e todos levitavam, não havia congestionamento entre eles e ninguém trabalhava, pois tudo era gratuito.
Minha mente cansou, pois a forcei muito e me vi na sala com dores de cabeça procurando um remédio para aliviar meu sintoma; mas sorri...
  

segunda-feira, 23 de junho de 2014

A noite




A noite é um enigma
Que mistérios guardará?
Fico a pensar no amor
Que se foi sem clamor

Fingia a noite dormir
Senti o calor nos lábios
Dos teus suáveis beijos
Com um gosto de elixir

Ouvi teus leves passos
E um ringir de porta
 Coração em compassos
Só queria estar morta

O duro mistério acabou
Sei que agora estou só
À noite o amor acabou
Mas nem o luar teve dó


 

domingo, 22 de junho de 2014

Meu desgosto


girl in the window

Meu desgosto foi não ter tido a coragem
de dizer não aquele cafajeste de homem
Roubou minhas filhas, deixando-me na rua da amargura
Hoje ando perdida pelas ruas da cidade grande
À procura de meus dois amores que vil me tirou
Onde estava aquele amor que dizia ter por mim e filhas?
Onde elas estão ? Seu traste de homem insignificante
Perdi a vontade de me arrumar, sou uma morta que perambulo
Em qualquer cidade  até encontrar os meus dois tesouros
A vida me ensinou a esperar e até que eu morra
Não vou cansar de procurar minhas lindas meninas
Que pelo tempo passado há quinze anos devem ser moças
Um dia passando por uma rua qualquer de uma bela cidade
Me vi em duas jovens lindas, olhares doces e lhes perguntei
Por favor garotas belas, quais são os seus nomes?
Elas entreolharam, sentiram meus olhos como os seus
Eu me chamo Elisabete e eu me chamo Glória e o seu?
Meu nome é simplesmente Fernanda e as três se abraçaram
Pegaram um trem para bem longe do malvado pai
E até hoje já velho anda pelas ruas procurando suas filhas
Há quem diga que deve ser algum louco que fugiu do hospício
Jamais ele as encontrarão, pois perdeu a dignidade de pai.



sábado, 21 de junho de 2014

Luta árdua




Muito na vida já perdi, mas nada me deterá a sonhar e a realizar outros sonhos que virão permear o meu sofrido coração. Vamos caindo e levantando...aprendendo a escolher os amigos para que na hora H, não fujam em forma de fumaça vindo a se diluir no ar.
A fé em Deus e a força de vontade em continuar contribuindo para a alegria de outrem, me faz uma mulher garrida e a cada ano mais feliz. Porque felicidade nós a temos nas soma dos bons feitos em relação ao outro e a infelicidade abate as pessoas que eu considero fracas de espírito, que passam a vida inteira a querer destruir o outro e, não conseguindo o seu ódio vira uma doença incurável que poderá levar a uma síndrome chamada maldade e o seu corpo a uma morte prematura.
A facilidade que muitas pessoas têm de esquecer o que fizemos por elas, isso não lhe vale nada, elas querem subir o pedestal e lá chegando, um vento da justiça irá soprar e elas irão planar paulatinamente até o chão e suas mentes irão “ebulir”, chegando até a loucura.
Aqui na Terra temos que expurgar todos os nossos maus feitos para que com muito sacrifício possamos entrar num outro plano melhor do que este.
Essa semana, com a morte da minha vizinha estive pensando: o que levamos desse mundo? Só as boas ações para que em outro plano a porta se abre e alguém com um abraço venha nos receber com carinho. E as más pessoas, as articuladoras de maldades, onde irão após a sua morte? Nem quero pensar...
A morte para as pessoas ruins é tão sofrida, muitas querendo pedir perdão e da sua boca nada sai, pois já está serrada para sempre; talvez um olhar arrependido, mas seus olhos já não abrem mais, um até breve, mas suas mãos não se movem mais e no seu último suspiro abrem os olhos e duas lágrimas escorrem. São as últimas, acabou o seu sofrimento aqui na Terra. Tudo isso eu vivenciei, mas as pessoas têm um coração duro e não entendem e eu fico com muito dó.



sexta-feira, 20 de junho de 2014

Variações de beleza da mulher


Obras de Larry Carlson

De todas as maravilhas do mundo, a mais bela é sem dúvida a mulher. Bela por sua natureza, delicada pela sua sutileza e é o motivo de muitas desavenças entre elas próprias. Cada uma tem sua sutil beleza natural e, muitas não satisfeitas querem mudar seu corpo para tentar subir mais uns degraus das suas belezas e é aí que elas se perdem na suas próprias ignorâncias.
Cada mulher tem seu algo mais que chama atenção, umas de Antonio e outras de João. Tem quem gosta de morenas, negras, mulatas, loiras, mas a única que não tem chance alguma é a mulher desleixada. Aquela que não gosta nem de si mesma, apesar de ter a sua beleza escondida na sua estupidez.
É lógico que a mulher que se ama gosta de se arrumar, mas tem que atentar para a sua idade para não ouvir "zum-zum": que pena! Tão linda mas, suas vestimentas não estão de acordo com sua idade, pois quando se é jovem, um vestidinho de chita, um shortinho e blusinha comprada na feira torna a mulher maravilhosa. Uma senhora vestida com elegância faz muito jovens "babarem", e é por isso que vemos muitas mulheres casadas com homens mais jovens. Só a elegância das suas roupas? Não, elas têm algo mais que fazem os "brotinhos" e "marmanjos caírem" por elas. É aquele olhar sem vergonha só para atrair a presa. Ao conseguir o que deseja, mostra paulatinamente a sua índole de mulher de bom caráter e de uma paixão a explodir no dia em que a presa for dela e de mais ninguém.
Agora tem a mulher bonita, mas chorosa: chora para ganhar dengos, emburra para ter aquele carro tão sonhado! Mas, cuidado homem, mulher é muito inteligente e sem perceber você deu a ela não só seu amor, mas todo o seu patrimônio; são as mulheres espertas por natureza.
Agora, cuidado homens, existem aquelas que além de lindas e inteligentes estão quebrando barreiras para conseguirem os seus direitos igualitários a dos homens. São mulheres guerreiras que paulatinamente estão tomando conta do mundo em todos os setores.
Independentemente em que tipo de mulher, quem está lendo se encaixa, não se preocupem, pois foi só a elas que Deus deu o dom de procriar.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Mulher virtuosa!


flower flickr


Mulher virtuosa é aquela que vê beleza e amor em tudo, às vezes, até parece ingênua no que se diz do amor. Mas sabe o que quer, não se joga com qualquer um; prefere ficar só do que ter alguém só para mostrar aos outros.
Ela quer um homem que a respeite, a valorize por suas qualidades de mulher decente e batalhadora. Não mede esforços para uma luta árdua junto com o homem que será seu para todo sempre.
Mulher virtuosa não é boba, é mais inteligente do que muitas que acham que sabem de tudo sobre a vida e seus relacionamentos amorosos. Não trai em hipótese alguma, mas deseja que o seu parceiro faça o mesmo com ela, do contrário, poderá morrer de amor por ele; o abandonará.
Tem sonhos como outra mulher qualquer: um amor, um casamento na hora certa, com direito ao seu vestido de noiva, aliança e um padre para abençoar. Não faz questão de festa...É simples e piedosa com os menos favorecidos.
O homem que quiser uma mulher assim tem que ser elegante nas suas atitudes, carinhoso e não esquecer dos afagos diários, pois ela é muito carinhosa. Não esquecer os dias principais de suas vidas, mesmo sem presentes, mas um beijo mais intenso e um abraço mais forte.
Feliz do homem que conseguir uma mulher assim para si; pois causará inveja aos amigos e ficará com uma pontinha de ciúmes, que é natural.



quarta-feira, 18 de junho de 2014

O céu chorou...


Teka

O céu chorou de felicidade
Debulhou lágrimas sobre mim
As flores sorriam a vaidade
Lavou meu vestido de cetim

Brilhou minh'alma sangrada
Devolveu-me o belo sorriso
Fechei o pequeno guarda-chuva
Rolei poças, abri meu sorriso

 Nuvens escuras não tive medo
Era o dia da volta à vida
As pernas já moviam o corpo 
D'um triste acidente suicida

Você disse que não me queria
Enlouqueci, não suportei a dor
De nada valeu sentir amargor
Agora, vou amar a única vida


segunda-feira, 16 de junho de 2014

AMO!




Amo!
Meu Senhor, pela vida
Por muitos sucessos inimagináveis
A minha mãe que não me pariu
E também aquela que me ensinou a viver
A ser uma pessoa do bem
Que me contava histórias para eu dormir
O meu "pai" que me deu exemplo de honestidade
Amo a saudade que tenho deles
Que sem aviso prévio me disseram adeus
Dela guardo a força nas decisões
Dele aquele amor lindo e incondicional
Dela que lia a Bíblia todos os dias pra mim
Guardo cada um num cantinho do meu coração
Amo meu filho que não pari
Mas que me mima como se fosse uma princesa
Amei seu pai que se foi para outro plano
Amo meu marido, o seu segundo pai
Amo o Sol, a Lua, as Estrelas
Toda a linda natureza que Deus nos deu
Em dias de chuva fico com saudades
Lembro dos antigos e lindos amigos da escola
Dos namoricos, dos beijos rápidos e dos sorrisos
Lembro do apito do trem apressado
Dos colegas, da escola e da ilusão
Em dias ensolarados acordo para a vida
Lembro também que meu caminho está curto
Logo, irei encontrar a paz que tanto almejo
O mundo está ficando muito cruel
Pena que não posso levar ninguém
Tenho que ir só...
Quando findar meu tempo aqui
Levarei boas lembranças
As más deixarei que o vento as levitem
A vida é curta meus amigos
E num pequeno clique
A vida aqui acabará
Outra recomeçará...
Quiçá!!!


domingo, 15 de junho de 2014

Perdida na noite sem luar




Estou a tua espera nesta noite sem luar
A escuridão me apavora, sem estrelas a brilhar
O medo toma conta de mim e tu não chegas
Coração acelera, mãos suam e tremulam pernas

De repente o céu apiedou-se de mim aqui só
A lua aparece chora a minha triste desilusão
Estrelas vão chegando para dar fim a solidão
Ouvi passos e vi o seu rosto suado, agoniado

 Amor, vinha a te encontrar e, nisso o céu escureceu
Trazia-te rosas que despetalaram  pelo caminho meu
Lindo céu que ora ficou claro pelas estrelas coloridas
Venho te dar um lindo presente, são as nossas alianças

Oh! como são lindas(...) tem certeza do nosso amor?
Certeza? Te amo mais do que a mim mesmo, querida
Vou fazer de ti a mulher do universo mais amada
Calados, se abraçaram e beijo veio com muito ardor


sábado, 14 de junho de 2014

Homem



O  Homem foi a maior perfeição
Que nosso Pai se permitiu fazer
Fez todas as maravilhas do mundo
E por último se esmerou no belo ser

Não usou mármore e nem o bronze
Como uma criança, fez com esmero
Moldou sua obra com barro molhado
Após a perfeição, soprou vida que preze 

E um lindo Homem viveu à saudá-Lo
Deus deu-lhe o belo  nome de Adão
Pensando na sua solidão no mundo
Arrancou-lhe uma costela e fez  a Eva

E Deus disse-lhes: sirvam-se à vontade
Mas só os proíbo de comerem da maçã
Mas o diabo tomou a forma de serpente
Enfeitiçou-os dizendo ser a mais doce fruta

E ainda, se comessem seriam mais que Deus
Daí a ganância sobrepôs e da fruta comeram
De repente sentiram vergonha do seus nus
Cobriram as vergonhas e a culpa confessaram

Deus fez um mundo maravilhosos para eles
Mas, com a desobediência foram expulsos
Do Jardim do Éden onde iriam ser felizes
Para amargar sofrimento, morte e enganos