domingo, 31 de julho de 2016

Mistérios da mente



Os mistérios da minha mente me perturbam, dia e noite, vivo a girar um mundo desconhecido, às vezes, paro e me envergonho do nosso Mundo e Nesse todos são sensíveis uns ao outros, o amor entre as pessoas e animais é visível e encantador.
Girando com fluídos coloridos vejo uma terra fértil com grandes cafezais, laranjais, pessoas bonitas de todas as cores, festas comunitárias e muito sorrisos.
Lá inexiste o dinheiro, a barganha faz todos se alimentarem. as casas são feitas de flores e cipós, uma maravilha. 
Engraçado: não existe calendário e nem relógio, mas não se perdem no tempo, não comem nenhum tipo de carne e todos os animais são amigos do homem.
Quando um casal estava pronto para casar. Que maravilha! Todos eram convidados e a festa ia até o amanhecer.
Giro muito forte parece que vou cair e chego à Terra; um fedor de maldade se exala por toda parte e a tristeza toma conta de mim. O homem mal mata, estrupa, rouba. Por que? Devido a discriminação entre os humanos: só tem bons trabalhos que são e passam em concursos, com cursinhos caríssimos e os pobres têm que trabalhar em servicinhos subalternos, como pagar um cursinho de qualidade para se equiparar aos ricos.Durmo e sonho, sabia que no outro dia haveria um grande concurso e precisava dormir. Os fluídos coloridos queriam me acordar e eu dormia. Acordei com um estrondo e na Terra: gente chorando gritando, o que será? Perguntei a um jovem pobre que estava muito feliz: o que aconteceu.Você não sabe?O maior concurso com 100 vagas passaram só os pobres e negros, muitos deles sem nenhum cursinho. Me deu um beijo e me disse: vou ser doutor, parabéns garoto, vá em frente.
Girei muito forte que quase caí e todos já felizes picaram muitos papeis coloridos, então com mais um giro de fluídos coloridos voltei a Terra  de bem alto joguei papéis coloridos nas favelas, os bairros pobres e todos agradeceram.
Aí a Terra mudou para melhor, o amor cresceu e as oportunidades de empregos tinham equidades.
Não sei quem sou, mais digo ninguém irá mais comer no lixão, a vida será diferente e espalhei pela Terra: quem roubar, matar virará pó e onde vocês estiverem, à noite vou atirar um fluido que queimará sua carne, pois aqui vim para trazer a concórdia e felicidade e todos os presídios serão abertos e eles serão pessoas de bem.
Girei, girei,muitos fluídos me envolviam, mas não consegui voltar no outro Mundo. mas não tem problema, aqui está muito bom.

sábado, 30 de julho de 2016

Apatia



É assim como me sinto já a alguns dias, sou indiferente a tudo, nada me da prazer, quero só dormir e ficar sozinho. Durmo muito, acordo, minha jovem mulher me acarinha, beija meus cabelos e diz: calma tudo isso vai passar.A apatia vem do nada, é uma tristeza que não sei explicar.
Não sei o porquê disso, se tudo está correndo tão bem na firma.
Na firma tento mudar, mas meu chefe muito sapiente me disse: fique uma semana em casa que logo passará, eu também tive apatia. Apatia? perguntei. Sim, o que tive e o que você esta tendo agora se chama apatia. Você está indiferente a tudo, mas isso vai passar.
Cheguei em casa, as crianças na escola, fui pra cama e minha mulher foi também. Deitei de costas para ela, chorava baixinho. Ela passava seus dedos no meu cabelo e dizia a toda hora; meu amor, trate de sarar logo, pois tenho uma surpresa para você. Você vai ser papai outra vez e pela primeira vez eu sorri, abracei minha mulher e beijei seus lábios.
Depois de um tempo nasce Vitória, que foi o remédio para a minha apatia, ela sumiu pois uma linda emoção entrou na minha vida: Vitória.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Obrigada Estados Unidos




Obrigada amigos invisíveis dos Estados Unidos
Pelas muitas visualizações no meu blog
Que Deus os abençõem
Lua Singular

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Poetisa




                  

Clara é uma jovem poetiza que mora no campo. é bem casada e a tarde, embaixo das árvores coloca todas as suas emoções num pedaço de papel: escreve não só poesia, mas contos crônicas, etc.
Seu marido chega à tardezinha e lá esta ela com sua caneta e papel e olhando pro seu bem: amor, você é a coisa mais especial que encontrei na vida e os dois se abraçam e entram para jantar.
Tudo que é muito certinho o "santo desconfia"; pois enquanto ele trabalhava na sede ela tinha um romance com um lindo roceiro, bem às pressas e todos os dias chegava atrasado no serviço.
Certo dia, ele meio acabrunhado dos atrasos do roceiro, foi às escondidas e viu o que não queria, seu amor fazendo amor ali mesmo na relva. Nesse instante ele apareceu e bateu palmas, amarrou o amante numa árvore, tapou a boca dele com um pedaço de pano bem forte. 
Ela chorava copiosamente, então, ele disse: calma venha comigo vamos pegar uma bacia d'água e jogou todos os seus escritos n'água que esfarelaram e matou sua amada e pensou: por que ela me traiu, só não lhe dava a lua porque não a alcançava. Beijou-a forte e apunhalou-a nas costas e jogou seu sangue todo na bacia.
As poesias foram encharcadas de sangue na água toda aquela mentira esfarelou.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Sonho proibido



Não adiantou me enclausurar
Se o sonho proibido permanece
Aquele olhos azuis que fascinavam
Meu corpo queimava de desejo

Ele saboreava do meu colo nu
Seus beijos me queimavam
Minhas entranhas fervilhavam
E a gente fazia muito amor

Que faço da minha vida escura?
Só sentindo a dor do amor
Fugi para esconder meu sonho
Nada adiantou, carreguei-o comigo

Na calada da noite daqui vou fugir
Ele sempre a minha espera  a chorar
Quando me viu chegando perto dele
Nosso sonho proibido cá se acabou

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Minha infância



Era linda como a rosa
Muito triste pelas surras
Sem saber o porquê delas
Depois os beijos e abraços

Nada entendia dessa "mãe"
Ora me acarinhava demais
Ora me surrava quase a morte
Ainda bem que tinha o papai

 Ela trabalhava demais fora
Aí, ficava solta pelas ruas
Ia brincar nos lindos prados
Sempre sozinha, levando a dor

Lá era feliz,cheirava as flores
Conversava com os passarinhos
Acordava muitos dormes-dormes
Para ver comigo a beleza da vida

Havia queda d'água pertinho
Lavava minhas tristezas nela
A correnteza levava as dores
D'alma ferida, gemida, sofrida

Mas tudo passou com o vento
Chegou um amor e me fez feliz
Hoje sou amada  muito por ele
Não quero recordar o passado

domingo, 24 de julho de 2016

(5) mãe



O amor da mãe faz com que o filho
sinta que é bom ter nascido,
colocando no filho o amor à vida
e não só o desejo de continuar vivendo...
a felicidade de estar vivo.


Erich Fromm
 

sábado, 23 de julho de 2016

4(mãe)



Uma mãe não é alguém para se apoiar,
mas alguém que existe para fazer
com que apoiar-se seja desnecessário

Dorothy Carfield Fisher
    

sexta-feira, 22 de julho de 2016

AVISO


Foto minha

OPEREI  ONTEM
QUANDO MELHORAR
REABRIREI OS COMENTÁRIOS E
RESPONDEREI -OS AOS POUCOS
DÓI MUITO E NÃO CONSIGO ESCREVER DIREITO
TENHO QUE  FAZER REPOUSO
A CIRURGIA FOI BEM

OBRIGADO A TODOS

3(mãe)


bebê

Aprende-se por experiência
Você não acorda seu segundo bebê
só para vê-lo sorrir

Grace Williams

quarta-feira, 20 de julho de 2016

2(mãe)





Minha tarefa como mãe é ocupar-me
daquilo que é possível e confiar às mãos
de Deus o que for impossível.


Ruth Bell Graham
Ainda pedem para eu voltar...Ah!...Não sei não.
Agora ficou mais fácil deixar de seguir
Laranjas podres caem fáceis
Obrigada por não estarem no meu pomar
Dorli

terça-feira, 19 de julho de 2016

1(mãe)




As mães têm o privilégio de trazer
ao mundo uma alma que viverá eternamente 

James Keller


sexta-feira, 15 de julho de 2016

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Quero você




Quero você para sempre olhando nos meus olhos com aquele olhar sem vergonha, como quem tava querendo alguma coisa. Pega em minhas mãos coloca em seus lábios molhados como uma mendiga, mendiga de amor.
Me abraça com força, já meio tristinha, quando puxo os seus cabelos e lhe dou um beijo interminável. Seu corpo parece um vulcão quase em erupção e entre beijos e abraços as labaredas nos envolve, me aninho em seu corpo para me aquecer e depois esfriarmos num chuveiro gelado.
Saímos para dançar numa discoteca perto de casa e no meio daquela loucura gritei que iria no banheiro, ela balançou a cabeça que sim e continuou a sua dança sensual. Alguém a puxou para fora da discoteca e a amou em qualquer lugar do jardim. Saí a procurá-la e não acreditei no que via. Virei um demônio por dentro, quando ela me viu gritou: ele me pegou a força. A é? E quem é que estava gemendo? os gatinhos.
Vamos pra casa, entrando nela disse: vá tomar banho direito, quero amá-la até você se exaurir. Saiu do banheiro contente, perfumada. Quando entrou no quarto seu marido estava na maior orgia com outra, ela começou a chorar. 
Não chore, eu a quis só para mim, agora essa vadia vai morar comigo e você irá saber quanto irá ganhar com uma transa cavalar.
Eu moro com a ex- vadia que só precisava de uma chance para ser feliz e me tratando bem como ela quem sabe um dia será minha para sempre.



terça-feira, 12 de julho de 2016

Viver abarcando o mundo




Viver é abarcar o mundo trazendo para si tudo que foi destruído pelo homem mau e com muito amor refazer tudo que foi desviado de cada centímetro da Terra. Fazer uma reciclagem no coração de todos os viventes, colocando neles muito amor e desprendimento, só assim poderíamos viver com tranquilidade, sem roubos, mortes e sufocar toda a maldade do mundo.
Uma maravilha de mundo com todas as florestas intactas, cada qual morando no seu pedacinho de terra, inexistiria a fome. As fontes naturais serviriam como bebedouros  para humanos e animais.
Todos  teriam suas casas simples feitas com a ajuda dos vizinhos, sem tecnologia, mas com muita concórdia e amor.
Cada homem teria a sua mulher e filhos e o respeito já seria natural. A Terra seria habitada por inteiro e todos falariam a mesma língua. Não precisamos de muito para ser feliz, pois o pouco com amor seria muito para Deus.
Na terra nasceria o alimento natural para toda a humanidade, nenhum animal seria alimento do homem, pois eles falariam e todos viveriam em harmonia. Aí, a vida não seria essa que vivemos numa corrida para o poder, a roubalheira, as mortes, as traições que temos hoje.
Ainda bem que sonhar não custa nada, centavo algum nos levaria como imposto pelo sonho.
O amor seria eterno nessa Terra reciclada, ninguém morreria e poucas crianças nasceriam para não superlotar a Terra.
Vivendo em coerência homens e animais poderiam cantar a vida sem medo dos tiros que atravessam hoje nossas cabeças formando poças de sangue no asfalto.
Eu sonho que Deus logo virá com seu chicote para ensinar seus filhos a viverem com amor e honestidade e os insolentes ladrões e assassinos que ceifaram muitas vidas humanas cairiam por terra pedindo perdão; mas virariam pó.


domingo, 10 de julho de 2016

Sua magia me enlouquece



magia


Tu entras na minha mente sombria
De repente me enlouquece com sua magia
Corpo antes sereno, agora quente e ardente
Puxo-a para amaciá-la com beijos

Mulher louca que me beija até sufocar
Agarro suas mãos, acaricio todo seu corpo
Você começa a tremer de desejos
 Nos entregamos a uma louca paixão

Pego-a no colo e a jogo num riacho
Caio n'água, abraço seu corpo molhado
Desencanto as nossas lindas vestes
Exaurimos de nadar nas águas límpidas

N'água eu possuo seu corpo, ora gelado
Mas subimos e num ímpeto você desmanchou
Juro, eu chorei de saudade da magia
Daquela linda mulher que se desintegrou

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Meus poemas




Meus poemas não têm rimas, métricas e ritmos
Tem amor, paixão, sensibilidade e mil beijos
Tem saudade, sensualidade e corpos alinhados
Tem vinho, cama, pétalas de rosas e feitiços

Meus poemas têm desejo, mão atrevida, mordida
Tem aperto, tem pulsar, magia, safadeza, abraço
Tem ritmo lento, beijo na boca, encanto e pecado
Tem apetite sexual, calor, sedução e sussurros

Meus poemas têm beijos molhados e saudades
Tem deslises, tem cheiro, amargor e muito suor
Tem segredos, verdades, mentiras e a coragem

Tem tesão, tem cama, alegrias de um sutil amor
Tem tantas coisas que até me perco nos detalhes
Depois? Tudo muda, vem o frio, a gente acorda

  

terça-feira, 5 de julho de 2016

Sonhos dentro do baú



Durante minha vida até aos vinte anos fui acumulando sonhos bons e ruins dentro do baú. Sempre era uma pessoa triste e isso afugentava os meus lindos pretendentes ricos.
Nunca deixei nenhum deles me dar um beijo, pois só o faria quando amasse de verdade. Mas isso não acontecia, parecia uma praga.
Certo dia cansada de esperar seu "príncipe encantado" fui passear na grande fazenda do meu pai. A fazenda era de café e na colônia da fazenda todos tinham suas casas com água encanada, muito bem cuidadas e um enorme quintal, o qual o dono e os filhos plantavam verduras, leguminosas e muitas frutas.
Papai era justo e bom com todos os seus empregados, nunca os mandava embora. Nesse dia passei pelo cafezal e vi um lindo jovem, musculoso, apanhando café. Parei a sua beleza, e prontamente perguntou-me se precisava de alguma coisa: sim, respondi - preciso de um amor, um homem trabalhador, bonito, carinhoso e cheio de vida e foi em direção do empregado e disse: um homem forte e que tenha o seu cheiro, ela o agarrou e deu-lhe um forte beijo na boca. Ele derreteu e no meio do cafezal a paixão foi mais forte.
Não deu outra, a linda jovem engravidou e falou para seu pai. Ele ficou enlouquecido com a chegada do neto.
Fizeram um casamento lindo, todos os empregados foram convidados e não era pra levar presentes e alguns amigos da cidade.
O padre foi à fazenda e disse: José, aceita Laura como sua legítima esposa: sim e o mesmo com Laura. Estavam tão felizes que na hora do beijo foi tão forte que os dois caíram, até o padre riu.
Foi morar com seu pai, pois era a única filha. Sua mãe havia morrido no parto.
O Seu baú foi esvaziado, imaginem que cada estrela era um filho que ela tinha. A casa ficou lotada de tantas crianças para a felicidade do pai de Laura.


sábado, 2 de julho de 2016

Meu eterno namorado



A lua com sono foi dormir
As estrelas apagaram suas luzes 
O Sol as acompanhou
Nós, sós, Numa linda penumbra

Os beijos foram inevitáveis
Nas borbulhas abraçou-me
E numa cama d'águas nos amamos
Já na areia dormimos

Acordamos felizes no alvorecer
O Sol sorriu nossa bela  nudez
Depressa nós nos cobrimos
 Amor é isso, inexiste lugar certo

Foi bom que n'outro dia vimos cometa
Que na sua rapidez, ele não nos viu
Permitiu-nos que nosso amor vingasse
 Casados, adoramos amar no mar

 


sexta-feira, 1 de julho de 2016

Guerra na Espanha





Morte de um miliciano, Espanha(Guerra Civil Espanhola)

Robert Capa, setembro de 1936 
O instante que u miliciano republicano cai morto durante a Guerra Civil Espanhola é uma das imagens mais famosas do fotojornalismo e uma das mais representativas daquele conflito.